18/10/2017

Estudo realizado com gêmeos afirma que esquizofrenia pode ser "herdada"


Um dos vídeos mais acessados, e comentados, do canal Noite Sinistra do Youtube fala sobre esquizofrenia. Nele é mostrada uma técnica que pode ser utilizada para determinar se uma pessoa possui traços de esquizofrenia. Nunca pensei que o assunto fosse estimular tanto aos amigos e amigas que acessam o blog e o canal. Justamente por conta desse interesse compartilho com os amigos e amigas a matéria abaixo, falando de uma gigantesca pesquisa publicada na Biological Psychiatry a respeito da esquizofrenia.

Ao aplicar uma nova abordagem estatística aos dados coletados em mais de 30 mil pares de gêmeos, os pesquisadores definiram a imagem mais precisa que já temos até o momento sobre os fatores de risco para a condição. A descoberta pode nos ajudar potencialmente a identificar os genes responsáveis pelos sintomas da esquizofrenia.


Cientistas da Universidade de Copenhague, na Dinamarca, mergulharam em um conjunto de informações coletadas através do seu National Danish Twin Register e as combinaram com dados do Registro Dinamarquês de Pesquisas Centrais Psiquiátricas. Eles chegaram à amostragem de 31.524 pares de gêmeos, todos nascidos entre 1951 e 2000.

A trágica história de Elsie Paroubek


Eliška "Elsie" Paroubek (1906-1911) foi uma jovem norte americano de origem Checa, que foi vítima de sequestro e assassinato, na primavera de 1911 na cidade de Chicago. Seu desaparecimento e sua busca comoveu e mobilizou os estados de Illinois, Wisconsin e Minnesota. Seu funeral foi assistido por entre 2.000 e 3.000 pessoas. A história de Elsie Paroubek, e, especialmente, a sua fotografia publicada no Chicago Daily News, foram duas das principais inspirações para Henry Darger escrever seu romance fantasioso "A História das Vivian Girls". Esse foi mais um caso que comoveu e sensibilizou a opinião pública Norte Americana. O crime continua sem solução.

Elsie era a sétima filha de uma casal do casal de imigrantes checos Karolína Vojáček e František (Frank) Paroubek.

17/10/2017

Crânios de 11 mil anos dão pistas sobre culto macabro na Turquia


Crânios de quase 11 mil anos foram descobertos com estranhos entalhes no sítio arqueológico de Göbekli Tepe, ao sudeste da Turquia, próximo à fronteira com a Síria. Pesquisadores do Instituto Alemão de Arqueologia que trabalham no local acreditam que os detalhes são a primeira evidência de um ritual funerário praticado na região naquela época.

16/10/2017

Descoberta do nome de Alá em artefatos vikings intriga cientistas


Arqueólogos suecos anunciaram a descoberta de caracteres da escrita árabe em mantas mortuárias encontradas em cerimônias funerárias vikings. A descoberta pode levar a novas informações sobre a influência do Islã na Escandinávia.

Curiosamente, os fragmentos estavam esquecidos em um arquivo, onde permaneceram por mais de cem anos, classificados como material genérico.

Mas uma nova análise dos tecidos, encontrados em túmulos dos séculos 9 e 10 agora revela detalhes desconhecidos sobre o contato entre os mundos viking e muçulmano.

13/10/2017

Como surgiu a superstição da sexta-feira 13?


Sexta-feira 13 é um dia considerado de mau agouro e envolto em muitas superstições em diversas partes do mundo, tanto que o dia inspirou a série de filmes onde Jason Voorhees surge do além túmulo para exterminar jovens desavisados.

Mas como surgiu esse mito de que sexta-feira 13 é um dia maldito? Na matéria abaixo os amigos e amigas podem conferir alguns levantamentos feitos por Trevor Timpson tentando revelar um pouco a respeito das origens desse mito e como ele se tornou tão conhecido e qual a relação desse dia com um grupo destinado a investigar eventos de má sorte.

12/10/2017

Interpretação de hieróglifo acabou de resolver um mistério de mais de três mil anos


Alguns fatos a respeito de civilizações e antigas culturas, assim como seus idiomas e costumes, acabam se perdendo ao longo da história por diversos motivos, e compreender melhor certos eventos do passado pode realmente ser um desafio para os historiadores e acabam se tornando mistérios bem interessantes. Mas muitas vezes a dedicação dos mesmos atinge os objetivos almejados, como no caso relatado na matéria abaixo.

Uma equipe de arqueólogos suíços e holandeses redescobriu e decifrou uma inscrição hieroglífica na língua luvita, que descreve os acontecimentos no final da Idade do Bronze na região do Mediterrâneo.

Assim, um dos maiores enigmas do passado do Mediterrâneo Oriental pode ser solucionado.

Publicidade 1

Noite Sinistra no YouTube

Postagem em destaque

O misterioso perfil do Facebook de Karin Catherine Waldegrave